13/03/2017

Alecrim, o golfinho feliz















Numa aldeia bem distante,
lá do outro lado do mundo,
num mar verde esmeralda profundo,
vivia um simpático golfinho.

Passava seus dias a nadar,

com muita alegria,
e a cada dia mais amigos,
conseguia conquistar.

A vizinhança da aldeia,

batizou-o com o nome de Alecrim.

Sabe  o que significa este nome?

Alegria em latim.

É uma erva poderosa,

e com um perfume delicioso.

Nosso amiguinho Alecrim,

colocava a cabecinha,
para fora da água,
e permitia que os humanos,
dele se aproximassem.

Alecrim batia as nadadeiras de felicidade,

e espalhava pingos e jatos de água,
por todos os lados.

As pessoas sorriam animadamente,

e as crianças especialmente,
gostavam de acariciar e tocar-lhe delicadamente.

Porém num certo dia,

apareceu um barco diferente,
com pessoas mal-encaradas.

Alecrim se afastou rapidamente,

pois sabia que não eram,
pessoas de bem e descentes.

Um dos homens trouxe um zarpão,

e jogou em sua direção.

Alecrim fugiu desesperadamente,

e deste dia em diante,
quando avistava um barco,
já se mantinha distante.

Isso fez com com que ele ficasse triste,

e da aldeia sumisse.

O brilho do local,

e dos moradores e visitantes,
já não era mais igual.

A magia tinha acabado.


- Coitado do Alecrim! - diziam os aldeões.

- Se sentiu ameaçado! - diziam os turistas indignados.

Uma criança teve a ideia,

de pedir ajuda á equipe da escola,
que por usa vez  buscou auxílio,
com as autoridades do lugar.

Em pouco tempo biólogos,

veterinários e ONGS de proteção,
vieram ver o que estava ocorrendo.

Descobriram o autor,

do barco infrator.

Justiça foi feita,

e se deu muito mal, 
o terrível malfeitor.

Alecrim, inteligente e intuitivo,

como todos os golfinhos o são,
voltou para a aldeia.

Os moradores bateram palmas,
e até choraram de alegria,
ao reencontrar o lindo amiguinho,
guardião-mor do lugar.

E para bem finalizar,

Alecrim agora novamente,
se deixava aproximar,
as pessoas boas de coração,
que com ele queriam brincar.

A felicidade ali retornou,

e agora a aldeia se tornou,
uma referência mundial,
em preservação e respeito á natureza,
devolvendo a magia que só podia,
ser feita pelo querido Alecrim,
um amigo assim tão encantado!


Elza Ghetti Zerbatto



imagem: www.baixaki.com.br

3 comentários:

  1. Adorei a poesia, o enredo, o nome do golfinho! Tudo lindo! Ótima semana,bjs,chica

    ResponderExcluir
  2. Bom dia, querida Elza
    Eis que chego aqui e encontro mais uma de suas doces poesias.
    Que bom que Alecrim voltou a ter paz.
    Linda semana para tí
    Beijinhos nesta quarta feira de
    Verena e Bichinhos

    ResponderExcluir
  3. Adorei o poema, o cenário, o tema, natureza, amor aos animais nesse dia dos animais e poesia um belo texto pra se comemorar. Tem homenagem no meu blog

    ResponderExcluir


Comentários edificantes são sempre bem-vindos!
Comente, deixe seu link, me siga e retribuirei sua gentileza.
Obrigado a todos.

Besourão pretão

Zum zum zão, besourão pretão. Zum zum zão, besourão pretão. Voou pelas plantas. Os insetos saíram correndo, com medão do bic...