30/03/2015

Visita das crianças da Comunidade do Sapo ao Museu do Horto Florestal Octávio Vecchi

"
No dia 14 de março de 2015 a criançada da comunidade do Sapo, teve a oportunidade de fazer uma divertida visita ao Museu do Horto Florestal Octávio Vecchi.











Os temas abordados foram educação, proteção animal e também, a importância da correta escovação dos dentes.
A empresa Marly Turismo proporcionou o transporte da meninada.



Para começar o dia com muita energia, nada como uma gostosa refeição!



A diretora do museu, Natália Ferreira de Almeida recepciona as crianças







Iniciando as atividades, todos assistem ao filme "Fulaninho, o cão que  ninguém queria"do Instituto Nina Rosa




As crianças se emocionam com a história do cãozinho que foi abandonado, e foi parar no Centro de Controle de Zoonoses de São Paulo







Soraia Cintra, protetora dos "Cães do Parque" conversou sobre posse responsável e respeito aos animais silvestres





Hora de conversar sobre saúde bucal






Ex-aluna do MICA Nataly Zamperin, estudante de Odontologia e Alessandra  Alexandrini, técnica em saúde bucal e psicóloga.




Toalhinhas personalizadas com muito carinho, feitas pela voluntária Adriana de Souza e doadas pela Clínica Patinhas e Cia.


Para finalizar o dia nada melhor do que uma oficina de música, com a maestrina Vera Novack


Ganhar presentes é bom demais!
Os bichinhos foram doados pela maestrina Vera Novack.


E agora é hora de voltar pra casa....



Todas as fotos aqui postadas pertencem ao blog do MICA,e tem autorização deste com o único fim de divulgação.
Quer saber mais sobre o MICA basta acessar:

http://artmica.blogspot.com.br/2015/03/arte-educacao-protecao.html






































17/03/2015

O passarinho que queria mudar de ninho







Nino era um passarinho,
que sentia-se diferente,
dos outros de sua ninhada.

Tinha as mesmas cores,
tamanho e plumagens,
mas vivia descontente,
com sua alma,
um tanto inconformada.

Achava muito chato,
e cansativo ter que voar,
sempre com os mesmos pássaros.

Sua mãe Nina,
percebia sua inquietação,
e piava-lhe dizendo:
- Nino, você é igual a todos de sua espécie.
- Não adianta reclamar e nem se rebelar.
Nino nada respondia,
abaixando sua cabecinha,
ficando muito triste a pensar.

- Por que tenho de ser assim?
- Queria ser igual a todos meus irmãos.
- Acho que preciso mudar de ninho para experimentar.

Num dia frio e chuvoso,
Nino voou para outro lugar,
a fim de suas dúvidas tirar.

Enfrentou a forte chuva,
escondeu-se nos galhos,
de uma linda sibipiruna,
tendo a chance de conhecer,
pássaros de outras especies.

Fez amizade com todos eles,
achando-os muito interessantes,
e não mais voltou,
para seu antigo lar.

Dona Nina muito angustiada ficou.
Seus irmãos sentiram muito sua falta,
porém Nino não se preocupou,
de retornar para avisar,
onde estava a morar.

O tempo passou...
Nino cresceu e envelheceu.
Estava contente com sua vida,
mas de repente a saudade bateu.

Foi procurar a velha família,
e para sua surpresa,
esta não era mais a mesma.

Sua mãe havia morrido,
seus irmãos eram pais,
as irmãs viraram meigas mãezinhas,
e a árvore onde se abrigavam,
já não dava mais frutos e abrigo.

Nino em seu coração estava com dúvida,
se iria ser bem recebido,
afinal fazia muito tempo,
que havia partido.

Seu irmão mais velho o reconheceu,
emocionou-se imensamente,
e de asas abertas o recebeu.

Nino se acalmou,
e longamente com ele conversou.
Conheceu seus sobrinhos,
e também novos amiguinhos,
pela família conquistados.

Sentiu todo amor e carinho,
dos seus entes queridos,
que mesmo após tanto tempo,
não haviam o esquecido.

Como forma de gratidão,
Nino tomou a decisão,
de unir os outros irmãos diferentes,
e tornar todos uma grande,
coesa e carinhosa família.

Agora todos eram iguais.

Nino percebeu que,
o que realmente  é importante,
é ser sempre sincero e verdadeiro.

Quem ama nos respeita plenamente,
não impõe regras ou condições,
nem o tempo e a distância,
afastará os sentimentos,
que existem em nossos corações. 

Elza Ghetti Zerbatto

texto publicado em 26/08/2014 no Recanto das Letras

imagem: www.papeisdeparede.org

12/03/2015

Mamãe capivara e seus bebês













Numa ensolarada tarde de domingo,
as margens do lago florido,
delicadamente mamãe capivara,
amamenta seu bebê.

Um momento de pura ternura,
onde o instinto materno,
emociona a todos transeuntes.


Elza Ghetti Zerbatto

Texto publicado em 08/12/2014 no Recanto das Letras

imagem:www.baixaki.com.br

04/03/2015

A frondosa árvore-da-china









Está chegando o outono,
a frondosa árvore-da-china,
mostra seus primeiros cachos amarelados.

Abelhas, borboletas, 
e tantos outros insetos,
vem a visitar ou nela se aninhar,
e ficam deslumbrados.

Sob o céu azul ela se destaca,
purificando e embelezando tudo á sua volta,
forrando o chão com suas flores,
num delicado tapete vegetal.

Em breve estará com a floração rosada,
forte, sutil e ao mesmo tempo grandiosa,
continuará a espalhar,
a magia da natureza pela cidade.


Elza Ghetti Zerbatto

Texto publicado hoje no Recanto das Letras


imagem: www.flickr.com




Tribos encontradas em ônibus (crônica)

Tem gente que detesta andar de ônibus. Eu particularmente acho até divertido. Você encontra várias tribos misturadas, e ...