20/02/2017

Nuvens de algodão

















Nuvens de algodão.
passam pra lá e pra cá,
ao sabor do forte vento.

Nuvens de algodão,
mexem com a imaginação,
acalmam a visão,
e também o coração.

O Sol entra na farra,
brincando de esconde-esconde,
por vezes se revelando,
e brilhando animado.

É a natureza em movimento,
mostrando sua força,
e também sua beleza.



Elza Ghetti Zerbatto


imagem: https://pixabay.com

13/02/2017

Tininha, a joaninha bruxinha















Num jardim mágico haviam vários insetos diferentes, coloridos e todos viviam em harmonia.
Entre eles uma linda joaninha, Tininha, que todos chamavam carinhosamente de "a joaninha bruxinha".
Quando algum inseto estava triste, com dor, ou mesmo querendo conversar, era com Tininha que iam prosear.
Sua casa era em formato de azaleia escura, e em sua cozinha haviam vários potinhos coloridos com ervas, sempre muito limpinhos.
Além de cultivar diversas plantas, flores no seu quintal, tão arrumadinho, Tininha, adorava colocar cristais ao redor das plantinhas.
Por ser muito bondosa e alegre Tininha, era muito requisitada para qualquer evento que houvesse.
Além de seus vários atributos, Tininha, sabia cozinhar como ninguém.
Seus pratos eram tão deliciosos que, muito de longe sentia-se o cheiro de suas refeições aromatizadas.
Como toda boa bruxinha também adorava enfeitar sua azaleia-casa com sininhos de vento, apanhador de sonhos, e sendo tão versátil, sempre ela mesmo pintava seu querido lar.
Ah, que gostoso passar um dia em sua companhia!
Certa vez uma alegre borboleta dourada e preta, pousou numa das suas perfumadas flores, e como estava com uma das asas machucadas, caiu de repente e começou a chorar.
Tininha, que estava na cozinha ouviu se choro e lá foi rapidamente a ajudar.
- O que aconteceu linda borboleta dourada? - pergunta Tininha.
- Fui tentar pegar o pólen desta gérbera e perdi o equilíbrio, e minha asa que já estava doente piorou. - disse a borboleta.
- Ah, coitadinha! disse com emoção Tininha.
- Venha amiguinha, se segure em minhas asas e eu preparei uma poção para cuidar de você. - disse Tininha.
E devagarzinho Tininha abraçou a borboleta, e levou-a para sua casa-azaleia.
A borboleta ficou encantada com a beleza, e simplicidade da casa de Tininha e disse:
- Amiga joaninha sua casa é muito linda!
- Obrigada borboleta dourada.
- Tenho um segredo para te contar joaninha. - disse a borboleta.
- Adoro segredos querida! - disse Tininha.
- Eu sou uma fada disfarçada de borboleta, e como me ajudou muito quero te dar uns presentes. - disse a borboleta.
Tininha ficou super emocionada e disse:
- Que honra receber em minha casa uma fada!
- Pegue esse cristal dourado e esse chapéu para ti.
- Que lindos! - diz Tininha.
- Ambos são dourados! - diz a borboleta.
- Que alegria e gratidão! - diz Tininha.
E a borboleta-fada diz:
- Você pode usá-los somente na semana da lua cheia, e se quiser fazer pedidos.
E continua:
- Deve deixá-los no tempo por 24 horas. Só não pode esquecer de lavar o cristal, se não seus pedidos não se materializarão.
E após falar isso as asinhas da borboleta-fada se curaram.
Tininha ficou pasma e indagou:
- Como você se recupera tão rápido amiga querida?
E a borboleta-fada responde:
- Porque a energia de sua casa é de amor, amizade e cura, e foi isso que me trouxe até as flores e plantas de seu quintal.
- Lembre-se também amada joaninha, que quando seu cristal quebrar, você deve devolvê-lo á terra. - disse a borboleta-fada.
- Por quê? - indaga Tininha.
- Porque ele precisa continuar com sua evolução no lugar de onde veio: a terra.
- Nossa, não sabia disso! - falou Tininha.
- Sim, e nunca deixe os sentimentos negativos invadirem sua casa e seu coração, porque aí eles deixarão de ser encantados, e nós fadas não poderemos mais entrar.
E Tininha falou:
- É verdade borboleta-fada. É por isso que sempre eu renovo meu lar com plantas, cristais, converso com meus amigos, e procuro ajudar a todos.
A borboleta-fada disse:
- É isso mesmo e continue assim. - disse a borboleta.
- Adeus amiguinha joaninha. Preciso voltar ao meu reino.
- Que pena que não podes ficar mais. - disse Tininha.
- E sempre voltarei amiguinha. Cuide bem de seu jardim. - disse a borboleta.
- Tchau!
- Tchau!
E desse dia em diante Tininha sempre olhava com mais carinho ainda para seu lar, e seu quintal, afinal quem sabe receberia a visita de alguma outra borboleta-fada?

Elza Ghetti Zerbatto


imagem: www.baixaki.com.br

06/02/2017

O triste beija-flor preto













Num dia frio e chuvoso,
pousado sob o úmido fio do poste,
o pequeno beijo-flor preto,
pia insistente e longamente,
clamando por alguém de sua família.

Olha para um lado,
olha para o outro,
totalmente assustado.

Seu triste e preocupado semblante,
demonstra sua dor.

Determinado e esperançoso,
voa em busca de seu ninho,
escondido em alguma longínqua árvore,
perdida por entre os prédios,
e as casas do bairro.

Em seu coraçãozinho sabe,
que irá reencontrar,
o calor e o abraço,


de seu amado lar.


Elza Ghetti Zerbatto

imagem: http://www.flickr.com

01/02/2017

O pequeno e tímido caracol










Perdido em um galhinho seco,
está o pequeno caracol.
Fazendo malabarismos,
para a folhinha alcançar.

Desliza lentamente,
deixando seu rastro,
até no outro galhinho chegar.

Envergonhado se esconde,
atrás de outra folhinha.

Calma pequenino,
ninguém irá te maltratar.

Você somente apareceu,
pois hoje finalmente choveu!

Que pena ter ido embora,
quem sabe nos encontraremos,
em outro dia qualquer,
qualquer hora,

para suas aventuras contar.


Elza Ghetti Zerbatto


imagem:  www.baixaki.com

A magia da dança cigana

Muito mais do que uma simples dança, é um canal para liberação, da magia e alegria de viver. Cada movimento faz, a ...